Sector de Empresas

PetrogalMar2019Hoje foi distribuído o Boletim de Março da Célula do PCP na Refinaria de Sines da Petrogal. O PCP está totalmente solidário com a poderosa luta desenvolvida por estes trabalhadores (Petrogal e CMN/Martifer) que no dia 14 de fevereiro teve um momento alto com uma concentração à porta da Refinaria.

Numa altura em que a greve dos trabalhadores da Petrogal chega ao terceiro mês deste ano, com bastante impacto, a administração da Petrogal tudo faz para boicotar a luta, utilizando todos os métodos repressivos e antidemocráticos contra os trabalhadores e a sua greve em clara afronta à Constituição que consagra o direito à greve. São já sete os trabalhadores suspensos com processos disciplinares numa tentativa intimidatória à resistência e luta destes trabalhadores. Este ataque tem a clara conivência do governo minoritário do PS que nada faz para resolver o problema dos trabalhadores, pelo contrário, mesmo contra sucessivas decisões judiciais o governo continua a lançar despachos anti-greve, demonstrando a sua subserviência ao grande capital.

Porto de Sines Logística e Transportes Hoje 810x298O Grupo Parlamentar do PCP tomou conhecimento de alertas e preocupações de trabalhadores do Porto de Sines relativamente à perspectiva da eventual privatização do Serviço de Combate à poluição do Trem Naval daquela Administração Portuária.

Estando perante uma situação que exige esclarecimento, já que se trata de um serviço estratégico para a segurança marítima e o combate à poluição no porto e no mar, o Grupo Parlamentar do PCP decidiu questionar o governo sobre a intenção da APS.

 

 

JornadasParlamentaresPetrogalEm resultado da luta dos trabalhadores da Petrogal, pelo direito à contratação coletiva, por melhores condições de trabalho e pelos direitos sociais e da atitude da empresa reveladora da pressão e chantagem junto dos trabalhadores, entendeu o Grupo Parlamentar do PCP endereçar uma pergunta ao Ministério do trabalho, Solidariedade e Segurança Social com vista ao esclarecimento necessário sobre o desrespeito do direito à Greve na Petrogal.

 

 

 

 

 

Petrogal14fev1No passado dia 14 de Fevereiro os trabalhadores da Refinaria de Sines da Petrogal, deram um claro sinal de força e unidade em defesa dos seus direitos e suas reivindicações.

A concentração onde esteve presente Arménio Carlos Secretário Geral da CGTP-IN, juntou trabalhadores da Petrogal e da CMN/Martifer (consorcio de manutenção) à porta desta empresa, sendo clara a determinação dos trabalhadores para prosseguirem a luta até que suas reivindicações se traduzam em vitórias.

A Greve dos trabalhadores da Petrogal que já dura desde o inicio deste ano vai-se prolongar pelo mês de Março, em defesa do seu Acordo de Empresa (AE) e contra a imposição da caducidade por parte da administração com a conivência dos sucessivos governos do PS, PSD e CDS. Mesmo com decisões judiciais favoráveis aos trabalhadores a empresa mantém a postura arrogante de não querer negociar com os trabalhadores indo mais longe, usando manobras repressivas e intimidatórias, nomeadamente com a instauração de um processo disciplinar a um trabalhador que estava em greve, atitude provocatória em clara afronta aos trabalhadores e ao direito Constitucional à greve.

petrogal trabalhadores plenarioA célula do PCP na Refinaria da Petrogal em Sines afirma a sua inteira solidariedade com a luta e reivindicações dos trabalhadores desta Refinaria, apelando à unidade dos trabalhadores em defesa dos seus interesses de classe factor decisivo para que a luta e reivindicações se traduzam em vitórias para os trabalhadores. Aos trabalhadores nada foi oferecido tudo foi conquistado.